A Nova Ordem: Salto Veloso, no meio-oeste catarinense, soltou o grito de liberdade!

Salto Veloso, cidade do meio-oeste catarinense, é muito charmosa e tem pouco mais de 4 mil e seiscentos habitantes. A base da sua economia? Produção primária. Talvez por isso a simplicidade e humildade do velosense tenha encantado a todos que passam por lá.

O grito do caboclo e italiano, que colonizaram a região, foi ouvido mais uma vez. Dessa vez não era um grito de dor, um grito de sofrimento: era um grito forte de liberdade. Um grito da Nova Ordem, um grito pra um dia livre de tudo.

A beleza do Parque encanta. O evento ainda recebeu uma exposição de carros antigos da região.

O Festival Um Dia Livre chegou em sua 2ª edição, com um formato muito bem construído pelos organizadores, que em sua grande maioria, são da mesma família ou amigos muito próximos. O evento rolou nos dias 17 e 18 de novembro no Parque Municipal de Exposições Agostinho Antônio Bortoli, um lugar de beleza singular e considerado um dos mais belos da região.

O público não decepcionou e abraçou com carinho a segunda edição do evento. Mais de 500 pessoas passaram pelo Parque no sábado e também no domingo. O cast contou com bandas da região e também nomes bem conhecidos aqui do Cena Livre.

Cada banda trouxe um estilo de diferente, um estilo próprio, talvez até podemos dizer que um estilo que casou exatamente com o evento: a liberdade do seu próprio som, sem filtros, com técnica, musicalização, onde passamos por cover’s que tocaram Mamonas, CPM 22 e todo o Hardcore brasileiro, até grandes clássicos internacionais e o autoral que tanto amamos <3

O destaque do cena fica pra banda Panaceia, de Jaraguá do Sul, que trouxe um som vibrante e totalmente autoral, embalado pelo frontman mais inteligente que conheci. Ah, faltou dizer que esse que vos escreve, Guilherme, partiu de excursão com duas bandas que tocaram. Além da Panaceia, Feed The Freak foram juntas embalando a viagem de mais de 8 horas no busão.

E como o dia era livre, mas muito livre, rolou churras coletivo, onde a galera trazia a carne e a organização oferecia a lenha, pra todo mundo almoçar junto. Duelos de xadrez e muita competição (e cerveja gelada) no Beerpong, o grande desafio etílico.

A cobertura de todo o evento está no Flickr e pode ser baixada em alta qualidade por quem quiser. É só clicar na foto abaixo 🙂

COBERTURA FOTOGRÁFICA - CENA LIVRE - GUILHERME ANTONIO KARSTEN LINDNER (137)

Mais uma vez a união de todas as tribos fez com que o Um Dia Livre fosse um tremendo sucesso. É muito especial ver que a cena do meio-oeste também está tomando forma e criando uma nova ordem, uma ordem especial de muita música, troca de experiências e uma causa filantrópica.

A fórmula não tem erro. Bora repetir em mais cidades? Máximo respeito pra Salto Veloso, máximo respeito aos organizadores do evento e maior respeito ainda ao público que lotou o Parque de Exposição. O rock é imortal, não tenha dúvidas!

Por Guilherme Antonio Karsten Linder